sexta-feira, 26 de agosto de 2011

PARA LER E REFLETIR, TEXTO MUITO LEGAL.

COMO “AFUNDAR” SEU GRUPO DE CAPOEIRA
REFLITAM BEM AMIGOS
(texto recebido na nossa caixa de emails)


Quando? Aparecer nos eventos do seu grupo procure algo para reclamar, diga que as coisas não estão bem organizadas, que esta tudo errado, que outros grupos são bem mais organizados. Se, por acaso, assistir alguma atividade do seu grupo, procure encontrar falhas no planejamento e no desenvolvimento da mesma.
Nunca aceite uma responsabilidade, uma atribuição, afinal, é mais fácil criticar do que realizar.
Se alguém do seu grupo pedir sua opinião sobre um importante assunto, sobre a violência na capoeira, por exemplo, responda que não tem uma opinião formada e depois espalhe como deveriam ser as coisas.
Não faça nada mais além do que o absolutamente necessário.
Se os responsáveis pela coordenação das atividades de realizações dos eventos estiverem trabalhando com interesse para que tudo corra bem, afirme que seu grupo esta dominado por um grupinho.
Não leia os informativos nem as publicações dos seus camaradas e não se preocupe com os comunicados que insistentemente chegam a seu Orkut e sua caixa de mensagens.
Afirme que ninguém publica nada interessante, ou melhor, diga que as pessoas nunca pararam para ouvir as suas ideias.
Se for convidado para assumir qualquer função, recuse alegando falta de tempo e depois critique com afirmações do tipo “esse grupinho só quer mesmo é saber do poder”.

Quando tiver alguma divergência com algum dos seus companheiros ou com alguns segmentos ou proposta do seu grupo, procure vingar-se com toda a intensidade através de ameaças e acusações contundentes.
Esqueça-se dos seus pares e exija do seu mestre ou professor uma orientação personalizada, individual, afinal, “cada um é cada um”. Exija que a data da próxima graduação seja cumprida á risca. Se isso não acontecer, fique revoltado, esperneie, ameace se desvincular do grupo.

Se receber um formulário para atualizar seus dados de cadastros e atualização juntos ao arquivo central do seu grupo, não o preencha e se ninguém adivinhar as suas ideias e opiniões critique e espalhe a todos que você é ignorado.

Após todas estas colaborações espontâneas, quando cessarem as rodas, os eventos, as oficinas, as formaturas, quando não tiverem mais viagens, festinhas, intercâmbios, quando você não receber mais comunicados para as reuniões e todas as demais atividades, enfim quando as atividades do seu grupo não estiveram dando certo ou algum companheiro realizar algum evento sem muito êxito e sentir seu grupo começar a “morrer”, estufe o peito e brade aos quatro cantos com orgulho: “Tá vendo, eu não disse?”.

Um comentário:

  1. Débora [Ouro Branco]29 de agosto de 2011 19:19

    Parabéns Mestre pelo Blog. Está tudo bem interessante. Esse texto mostra q há um pouco dessas características em cada um de nós, e nos remete a refletir sobre nossas atitudes!

    ResponderExcluir